terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Linda Lilás

Ela sempre foi linda. A mais linda de todas. A minha preferida. A chamei de Lilás, minha linda Lilás. Porque lilás, de todas as cores, é a que mais estimo. E, acredite, para mim, toda cor é divina.
Quando linda Lilás passava, até o mundo parava para observar. Os seus olhos, sua boca, seu colo e seu entorno, tudo em harmonia tão perfeita que jamais deixaria para trás um só olhar. E sua cor, ah!, sua cor... Linda Lilás trazia, consigo, os meus mais profundos desejos. A cada ângulo que a espiava, um novo sacrilégio a ser exaltado. Registrado. Lembrado. Porque linda Lilás merecia, e os homens precisavam. Estou certo disso.
Foram seis lindos meses. Cada um de nós tem uma espiritualidade na cor que nos fascina. A minha é lilás. Que marca o amor que vivi e que não volta. A mesma cor que vestia a minha linda Lilás quando, ao realizarmos seu último desejo, o fogo a tomou para si. Deixando apenas a exaltação. O registro. A lembrança. Lilás.

Um comentário:

  1. Linda lilás. Fiquei em dúvida no começo, porque achei que você era a lilás...Ficou uma graça o texto, tão gracioso quanto a Linda lilás deve ter sido.

    ResponderExcluir