segunda-feira, 3 de maio de 2010

Violação de correspondência

Olá, meu querido,

depois de tanto chorar, de tanto brigarmos e de até tentarmos nos entender percebi, hoje, que você respeita os seus sentimentos, apenas. Ou por que outro motivo insistiria tanto para que eu fosse visitá-lo? Já pedi para que parasse de me dizer as coisas bonitas que dizes, já que o que me mostra é o contrário.
Por que, então, não entender os meus motivos? Só os seus são satisfatórios? Quer que chegue aí e me sinta uma tonta tentando fazer parte de alguma coisa?
Não, meu querido, isso não.
Espero, sinceramente, que você seja feliz. Muito. Mas nem por isso eu faço questão de saber dos detalhes sórdidos.
Por fim, pretendo não mais te ligar. Estou cansada de sempre ser eu a ir atrás quando, por vezes, brigamos. Parece que depois que nos afastamos você se mostra uma pessoa que jamais eu havia conhecido, antes. Como já disse, seja feliz. Agora eu vou buscar a minha outra metade aqui.

Com carinho,
Paulinha

3 comentários:

  1. Paulinha, acho que a gente é inteiro. Mas é claro que precisamos de uns acessórios adicionais pra fazer a vida mais melhor de boa. E tudo o que não te fizer sentir bem, jogue fora, pois é da estação passada.

    =*

    ResponderExcluir
  2. Camis, você é linda! Brigadão, amiga!

    ResponderExcluir
  3. Tenho de admitir que o conselho da Camis foi sensato.

    E vamos parar de pensar nessa historia, Paulinha?

    ResponderExcluir